Páginas

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O "GRANDE" DISCURSO

Olá à tod@s Peço que assistam com cuidado o vídeo abaixo. Entenda o porquê da controvérsia envolvendo este deputado federal pelo Partido "Progressista" lendo AQUI. Observem o ódio embutido, escondido atrás do terno e da gravata do "cidadão de bem". São sempre "gente de bem", né? Sempre pregando pela família e os valores morais.


Curioso. O estopim da ditadura no Brasil começou com uma Marcha pela Família (Leia + AQUI). Gente marchando sempre me dá medo. Ninguém dança. Todos marcham.


Percebe-se que não existe qualquer argumentação nos gritos emitidos por este ser. Ele apenas vocifera e tenta ganhar no grito, assim como um dia ele ganhou já discussão com arma na mão. Segue o perfil do ser AQUI. Só há ódio em seu "discurso", e desinformação. Triste é que ele foi eleito diversas vezes e ajuda eleger outros que possuem o mesmo perfil, com votos de milhares de "bolsonarinhos" espalhados por este país, talvez os mesmos eleitores que votaram no Tiririca. 


O perfil deste ser é o mesmo de outros perseguidores em todas as épocas. Hoje estão na tribuna democrática porque lhes é muito conveniente, mas em outros tempos, habitam os porões, masmorras e florestas de todas as terras e todas as épocas, onde somente sua vociferação era ouvida, acusatória. E qualquer um que esboçasse a mínima defesa a favor da vítima ou do processo era com ela sacrificada.


A democracia representativa brasileira, que não é das melhores mas é nossa, gozada por aqueles que hoje tem 25 anos ou menos, não foi gratuita. Foi vencida na luta contra seres deste naipe que, durante várias gerações, tem tentado ditar suas ordens através da violência ou de fato, ou de palavras. 


"A acusada era conhecida por tomar banho"
Recado aos que acreditam na educação, no diálogo e nos direitos civis: existem muitos "bolsonarinhos" por aí. São quase invisíveis, aparecendo apenas em atos esporádicos de violência física ou verbal. Esses dão mais medo. Se o Bolsonaro é a voz, os bolsonarinhos são os braços.


Fala-se que Hitler matou tantos judeus. Na verdade milhares de alemães mais ou menos anônimos fizeram isso. São destes tentáculos que tenho medo.


Não é jogando ovos em um politico que serão vencidos. O político é um representante de um pensamento coletivo, uma hidra com tantas cabeças que, para ser vencida deve-se conquistar corações e mentes em todas as frentes, em cada vez que a ignorância se manifesta: na fila do mercado, no ônibus, na rua, no cinema, em casa.


É trabalho de formiguinha! Comecemos já!


Sergio Thot!




2 comentários:

  1. Concordo integralmente. E digo mais, por trás de destes "líderes" há muito mais em jogo do que se parece, eles possuem a arte de fascinar, exteriorizar nos indivíduos a farpa de mal que neles habitam... Ou eles são a própria representação das farpas de um coletividade? Talvez os dois ao mesmo tempo.
    De uma coisa tenho certeza, uma abelha não faz uma colméia. Assim como Hitler sozinho não fez o genocídio - é preciso de pessoas que compactuem e infelizmente no Brasil há muito indivíduos compactuando com a intolerância.

    Pax et Fortuna

    ResponderExcluir
  2. E a força da manada, como o assassinato feito contra o motorista de ônibus aqui em SP, por ter perdido a direção do veículo e batido em outros carros.

    Foi linchado por isso. Quando juntos, tendemos a raciocinar menos, acredito. Perdemos a massa crítica. E é diante de situações-limite que mais precisamos dela.

    Então, se há algum omento propício para se mudar uma mente é quando a pessoa está isolada de seus seguidores/companheiros de manada. Nessa hora é ele, você e a verdade.

    Toda relação humana é uma relação política.

    ResponderExcluir

Cultivaram esta Semente: